Piso para escritório: Como escolher

4 de maio de 2018

Um ambiente corporativo, mais do que um local de trabalho, é o local no qual a equipe geralmente permanece a maior parte do dia. A escolha de um piso para escritório deve considerar as necessidades específicas de cada empresa. Entre os fatores decisórios, os que possuem maior relevância são o conforto térmico e acústico, os produtos ou serviços que a empresa oferece e a identidade visual da marca.

Pisos para escritório

Foto: Forbo

Não sabe como avaliar essas informações? Vamos ajudá-lo:

Conforto térmico:

Deve-se levar em conta o local da empresa. Uma empresa situada em uma cidade de clima quente em um salão sem ar-condicionado é diferente de um escritório em um prédio com ar-condicionado em uma cidade de clima mais frio. O piso pode ajudar a equilibrar a temperatura, trabalhando um piso frio (porcelanato, vinílico etc) na cidade quente e (carpete, madeira) na cidade mais fria.

Conforto acústico:

Nesse caso, é preciso considerar o trânsito diário dos membros da equipe, a necessidade de um ambiente no qual os funcionários precisem se concentrar em seus afazeres. Imagine uma empresa em que os funcionários precisem prestar atenção e se concentrar, e o ambiente seja comum a todos e o tempo todo haja pessoas passando ao lado, pisando de salto, conversando e fazendo barulho relativamente alto. Para esse caso, o carpete é o piso que melhor se adéqua, pois cumpre o papel de elemento acústico no ambiente.

Produtos e serviços oferecidos:

Mesmo se tratando de escritório, certas empresas trabalham com produtos químicos que podem danificar pisos, caso ocorram derramamentos. Ou nesse ambiente há tráfego de objetos pesados. Enquanto em outras empresas não há a incidência de nenhum desses fatores com poucas pessoas que permaneçam a maior parte do tempo sentadas. Pensando nisso, cada piso possui propriedades específicas que atendam melhor a essa demanda. Para ambientes de alto tráfego e com equipamentos pesados, existem as resinas, pisos em epóxi, cimentados etc. Já para ambientes apenas de pessoas, o piso pode ser porcelanato, carpetes, piso vinílico e vários outros, caso a caso estudado de acordo com o perfil do cliente.

Identidade visual:

Um item para ser levado em conta é compatibilidade do material com a mensagem que a marca quer transmitir. Uma empresa mais moderna e jovial pode necessitar de materiais mais coloridos que possibilitem criar formas geométricas. Um escritório mais formal pede um piso de cores mais sóbrias que transmitam segurança e solidez, por exemplo.

O piso do escritório vai além da estética, ele precisa funcionar, inclusive, acusticamente. A depender do revestimento escolhido pouca manutenção deve ser prevista e necessária, por isso analise as opções e identifique qual é a mais adequada para o seu caso.

Além dessas considerações, é importante pensar ainda na facilidade de instalação, limpeza e manutenção. E não se esqueça também de considerar o tempo que pretende permanecer com esse piso no seu escritório.


Como está a iluminação da sua empresa? Confira essas dicas


Seguem aqui 3 sugestões de pisos para escritórios mais tradicionais:

1.    Piso Laminado:

Piso Vinilico

Fonte: Getty Images

é um piso constituído de lâminas de madeiras em larguras e comprimentos variados, composta de aglomerados HDF. A camada superior exibe a estampa decorativa artificial e vem protegida pelo overlay (resina de melanina. A tecnologia de produção atual chegou ao nível de fidelidade a textura original da madeira que reproduz sulcos e veios naturais do material inspirado.

Vantagem: preço acessível, boa resistência ao trânsito moderado de pessoas, conforto térmico e facilidade de instalação. O piso instalado por encaixe (conhecido como piso click) não leva cola e é facilmente substituível.

Desvantagens: faz o famoso “toc-toc” de pessoas caminhando e é sensível à água e a outros líquidos. Há vários níveis de resistência a riscos e peso, é necessário um profissional para avaliar a necessidade do ambiente.

 

2.    Piso vinílico ou PVC:

Piso laminado

Fonte: Getty Images

descrevem o mesmo material, piso composto de PVC, minerais e aditivos, que pode vir em mantas, em placas ou réguas. É um piso leve, aplicado de preferência sobre contrapiso liso, normalmente com cola. Material polivalente, com uma gama de opções que atendem às mais variadas especificações, é possível escolher uma linha de piso vinílico que atenda a quase todas as situações.

Vantagens: as diversas versões desse material possibilitam reproduzir o aspecto de madeira. Ele pode funcionar para empresas com piso elevado (o piso autoportante é facilmente retirado e recolocado, por ser fixado com fita adesiva), permite o tráfego de materiais pesados e algumas variedades são produzidas com um catálogo de cores completo, dando opções de criar desenhos e formas de acordo com a identidade visual da empresa.

Desvantagens: preço mais elevados comparado as outras opções, por se tratar de um piso que demanda conhecimento técnico, é indicada uma avaliação rigorosa de um profissional comparando os tipos de piso e necessidades da empresa, evitando assim erros de instalação e materiais impróprios.

3.    Carpete:

Carpete

Fonte: Getty Imagens

foi por muito tempo o queridinho dos escritórios, porém, deixado de lado por conta do surgimento de revestimentos mais modernos. Está voltando a figurar por conta das novas tecnologias de fabricação e componentes. O formato mais tradicional é em manta, mas com o surgimento do carpete em placa tem sido cada vez mais utilizado por conta da praticidade de instalação e manutenção e ainda faz o ambiente ficar mais sofisticado, propiciando a mudança do desenho com  inversão das placas.

Vantagens: preço, dependendo do produto, pode ser mais acessível, conforto acústico e térmico, possibilidade de mesclar cores e criar desenhos (até desenhando o logotipo da empresa no chão), facilidade de instalação e manutenção (principalmente em placas).

Desvantagens: a limpeza é mais complicada, é necessário equipamento – aspirador ou similar para ser eficiente e pode manchar com acidentes de líquido derramado.


Confira também: 8 dicas matadoras para salas de reunião


Com todas essas informações, agora ficou mais fácil escolher o piso do seu escritório.

Mas não esqueça: escolher o piso é apenas uma parte do projeto e existe a necessidade de considerar outros fatores, como contrapiso, o layout, necessidades específicas e se o piso transmite a mensagem que sua empresa pretende passar.

Para evitar erros, conte com a ajuda de um profissional.

Ficou com alguma dúvida? Venha conversar conosco!

Gostou dessas dicas? Deixe nos comentários suas impressões sobre o tema. Siga a gente também no Facebook, no LinkedIn e no Instagram!

Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

instagram logo
@milideiaspormetroquadrado
logo instagram